Pais se queixam de novo serviço de ônibus para estudantes

2528

Familiares de alunos afirmam que linhas foram cortadas e ônibus deixaram de circular

busao4
Empresa que venceu a licitação comprou 100 ônibus novos para substituir os antigos/Fotos: PMB

O novo serviço de transporte escolar da prefeitura começou com reclamações por parte dos pais de alunos. Os ônibus estrearam na segunda-feira, dia 14/8, substituindo os antigos, de filiados da Cooperativa dos Motoristas de Transportes Autônomos de Barueri (Cooperaub).

Moradores do Parque Viana afirmaram que os veículos não passaram por lá. Eles disseram ter sido informados que o transporte escolar havia sido suspenso nas redondezas da rua Palmeira. Segundo um pai, a escola mais próxima está a uma distância superior à regulamentada e que sempre houve ônibus público disponível. A queixa foi postada no Facebook da prefeitura mas, segundo o autor da reclamação, sem nenhuma resposta.

Também houve queixas de familiares de estudantes da Emef. Prof Alcino Francisco de Souza, no Jardim Silveira. Segundo eles, os ônibus que levam as crianças para a escolas não circularam no início da semana.

Respondendo a questionamentos do Barueri na Rede, a prefeitura emitiu nota admitindo que houve falhas nos primeiros dias de atendimento do novo serviço. De acordo com a administração municipal, “os ajustes foram feitos para que, a partir da próxima semana, todos os estudantes possam ser transportados com a melhor segurança e pontualidade”. Ainda segundo a nota, “todos esses casos de imprevistos já estão sendo revistos e ajustados”. Porém, a prefeitura não esclareceu os casos relatados pelo BnR.

Os novos ônibus são da JTP Transportes, empresa que venceu uma licitação para assumir o transporte escolar em Barueri, que leva e traz para as escolas da rede municipal cerca de 6 mil estudantes. De acordo com a prefeitura, são 100 veículos novos, com ar-condicionado e todos os dispositivos de segurança exigidos por lei, conduzidos por motoristas treinados.

busao3
Motoristas passaram por treinamento, segundo a prefeitura

A alegação da prefeitura para fazer a substituição foi de que os sócios da Cooperaub não cumpriam o compromisso de trocar os ônibus regularmente e de que havia ônibus com mais de 20 anos de idade em circulação.

A troca causou grande polêmica, pois deixou cerca de 500 pessoas sem trabalho. O prefeito Rubens Furlan, no entanto, afirmou que os antigos motoristas puderam participar do processo seletivo da JTP, sem especificar quantos foram contratados. Segundo associados da cooperativa, poucos motoristas e monitores conseguiram a contratação, também sem dar números.