Pacientes cegos em mutirão da catarata no HMB prestam depoimento

960

Das 23 pessoas que participaram do mutirão, 14 ficaram cegas de um olho. Caso aconteceu em 2014

Dez pacientes que ficaram cegos após mutirão de catarata feito há quatro anos no Hospital Municipal de Barueri (HMB) prestaram depoimento sobre o caso na última terça-feira, 25/9, no fórum da cidade. Foram ouvidos também o médico responsável pelas cirurgias e um representante do hospital. A reportagem é do portal G1.

Em agosto de 2014, a prefeitura fez um mutirão com 23 pessoas que tinham catarata, uma doença que compromete o cristalino do olho (lente natural) levando à perda progressiva da visão. A maioria dos pacientes tinha mais de 60 anos, mas conseguia ler, escrever e realizar outras atividades. Após a cirurgia no HMB, 14 deles ficaram cegos de um olho.

Na época, o hospital atribuiu o problema a uma complicação rara, causada por produtos químicos, como restos de sabão e substâncias de limpeza, que entram em contato com os olhos do paciente durante a retirada da catarata para implantação da lente intraocular.

A principal suspeita seria de que conservantes usados nos anestésicos teriam provocado o problema, descartando erro do médico, que solicitou a investigação do caso. Os fabricantes dos anestésicos utilizados nas cirurgias alegaram não ter detectado problemas nas anestesias.

Em nota ao portal G1, a Secretaria de Saúde de Barueri afirmou que os processos investigativos abertos à época do ocorrido estão em curso e que a Organização Social (OS) Pró-Saúde deixou a administração do Hospital Municipal de Barueri no ano seguinte ao problema.