Envenenamento: Vinicius deve ser internado em instituição psiquiátrica

1355
- Publicidade -

A advogada de Vinicius Salles Cardoso, Patricia Carvalho, aguarda saída do laudo para entrar com pedido de revogação da prisão dele

Vinicius Salles Cardoso, de 31 anos, um dos quatro sobreviventes intoxicados por uma bebida alcoólica misturada a cocaína no mês passado, deve ser internado em uma instituição psiquiátrica após o vencimento de sua prisão temporária.

Ao Barueri na Rede, a advogada de Vinicius, Patricia Carvalho, informou que ele passou por uma avaliação psiquiátrica na última terça-feira, 3/12, no Hospital Municipal de Barueri (HMB). “Estou aguardando a saída do laudo para entrar com um pedido de revogação da prisão temporária se for o caso”, afirma a advogada. “A origem da bebida ingerida ainda é um completo mistério”, completa.

Vinicius teve a prisão temporária de 30 dias decretada no dia 19/11, após apresentar três explicações diferentes para o aparecimento da bebida ingerida por ele e mais sete pessoas na Praça das Bandeiras, próximo à Padaria Central, no dia 16/11 (relembre). Na versão definitiva, disse que encontrou a garrafa na rua Claro de Camargo, cerca de 100 metros do local, mas não soube precisar quando encontrou o frasco.

De acordo com o laudo do Instituto de Criminalística (IC), o líquido ingerido pelas vítimas continha álcool misturado a cocaína, o que provocou uma overdose (leia mais). A combinação de álcool e cocaína é altamente tóxica e pode causar graves danos ao coração e provocar paradas cardiorrespiratórias. Segundo o delegado do caso, Anderson Giampaoli, cada uma das vítimas ingeriram cerca de 1,5 grama de cocaína ao beber o aguardente. Quatro pessoas morreram e outras quatro ficaram internadas.

Vinicius será indiciado por quatro homicídios culposos (sem intenção) e por três lesões corporais culposas, por ter dado a bebida às outras vítimas sem saber o que era. A data para indiciamento não foi confirmada. Após o indiciamento e provável transferência de Vinicius para uma instituição psiquiátrica, o delegado Giampaoli pretende iniciar uma nova etapa das investigações para saber o motivo de haver grande quantidade de cocaína na bebida. A intenção é verificar se a diluição da cocaína na bebida é uma nova forma de traficar a droga.

O Barueri na Rede procurou a Secretaria de Segurança Pública (SSP) sobre o caso. Em nota, o órgão informou que o Vinicius permanece preso temporariamente e que ‘os laudos periciais estão em andamento, assim que concluídos, serão analisados pela autoridade policial’.

- Publicidade -