Cobertura vacinal contra febre amarela em Barueri é de 40%

772

Com a chegada do verão, época de maior risco de transmissão, pessoas não imunizadas devem receber as doses

Barueri e região tem apenas 40% da cobertura vacinal contra a febre amarela. A informação é do Grupo de Vigilância Epidemiológica (GVE) de Osasco, que faz o levantamento para a Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo.

Segundo o balanço divulgado pelo Centro de Vigilância Epidemiológica, até 28/12, foram registrados 27 casos de febre amarela silvestre na região, e 12 deles ocasionaram morte. Barueri não registrou nenhum caso, de acordo com a Secretaria de Saúde do Estado ao Barueri na Rede. Em fevereiro, um morador do Parque dos Camargos contraiu a doença em Ibiúna, interior de São Paulo, e acabou morrendo (relembre).

Ainda segundo dados da Secretaria de Saúde, entre 2017 e 2018 cerca de 15 milhões de pessoas foram vacinadas contra a febre amarela no estado de São Paulo, o que representa mais do que o dobro do total de paulistas imunizados no período de 2007 a 2016.

A preocupação surge novamente com a chegada do verão e da temporada de férias, que é a época com maior risco de transmissão, devido ao aumento da temperatura que favorece a reprodução dos mosquitos transmissores.

A Secretaria de Saúde alerta que todo o território paulista já tem recomendação da vacina, devido à circulação do vírus, e orienta que as pessoas não imunizadas procurem receber as doses, disponíveis nos postos de vacinação.

A imunização deve ser tomada dez dias antes de viagens ou deslocamentos a áreas de mata para proteção efetiva. A vacina é indicada para pessoas a partir dos 9 meses de idade.

Portadores de HIV positivo e transplantados devem consultar o médico sobre a necessidade da vacina. Não há indicação de imunização para gestantes, mulheres amamentando crianças com até 6 meses de idade e imunodeprimidos, como pacientes em tratamento quimioterápico, radioterápico ou com corticoides em doses elevadas, como Lúpus e Artrite Reumatoide.