Atleta de Barueri se destaca no Pan-Americano de Kung Fu

488

Andrea, de 21 anos, moradora do Belval, pratica o esporte há nove anos e foi vice-campeã nas provas de facão chinês

andreapremios
A atleta de kung fu ficou em 2º lugar na modalidade daoshu (facão chinês) e 3º lugar nas provas de changquan (formas livres)./Fotos: Divulgação

A lutadora de kung fu Andrea Teodora Cruz Pedroso de Jesuz, de 21 anos, foi destaque no 12º Campeonato Panamericano de Kung Fu, disputado de 31/10 a 5/11, em Buenos Aires, capital da Argentina. Andrea representou o Brasil pelo Barueri Esporte Forte e alcançou uma das maiores notas da competição: 9,36.

A moradora do Jardim Belval conta que começou no esporte com apenas quatro anos, fazendo ginástica e dança,  e só mais tarde decidiu se envolver com artes marciais. “Entrei para o kung fu  somente em 2012, e logo no início estava com a equipe do Barueri Esporte Forte” revelo a atleta em entrevista ao Barueri na Rede. “Costumo dizer que o kung fu me trouxe calmaria. Quando passo por situações difíceis, busco me tranquilizar na luta. Tenho muita paixão pelo meu esporte e tive a sorte de ter ótimos professores.”

Em 2017, Andrea foi campeã da seletiva paulista de kung fu e do Campeonato Paulista do esporte, nas duas modalidades em que compete: changquan (mãos livres) e daoshu (facão chinês), na categoria absoluto. No mesmo ano, a jovem também ganhou outro primeiro lugar no Campeonato Sul-Americano de kung fu Wushu, no Uruguai.

“Treinei muito durante 2018. Antes de disputar o Panamericano, minha maior nota era 9,18. Eu coloquei na cabeça que queria tirar 9,30 em uma próxima oportunidade e fiquei com 9,36 no Pan-Americano”, conta a atleta com animação. Andrea fez apresentações de 1min30seg nos dias 3 e 4/11, no Ginásio Poliesportivo Roberto Pando, do Clube San Lorenzo de Almagro, e foi vice-campeã nas provas de daoshu e ficou em 3º lugar nas de changquan.

“Gostei do meu desempenho durante a competição. Na modalidade em que consegui o segundo lugar, eu estava com uma lesão no ombro, e senti muita dor. Já na modalidade changquan, eu alcancei o meu objetivo atingindo 9,36 de nota, e fiquei muito feliz, mesmo com o terceiro lugar”, conta a atleta entusiasmada ao BnR. Andrea também está concorrendo aos melhores do ano da Confederação Brasileira de Kung-Fu (CBKW), na categoria ‘destaques do Wushu moderno’. Para votar na atleta de Barueri, basta acessar o site CBKW.

“Minha emção sempre é grande em disputar e representar o Brasil, mesmo ele não me representando. Acho que falta apoio a atletas de kung fu que precisam competir fora mas, assim como eu, não têm patrocinadores e condições financeiras. Ano que vem tenho mais disputas internacionais e estou lutando para conseguir vagas e chegar às competições”, finaliza Andrea.