Árvores centenárias do Parque da Maturidade são cortadas sem motivo

478

Moradores se indignaram com os cortes. “É uma tristeza ver a mata do Parque da Maturidade sendo desmatada. É um crime. Onde está o Meio Ambiente?”

Moradora mandou fotos mostrando o antes e depois do corte das árvores no parque/Foto: Arquivo pessoal

O corte inesperado de árvores que ficam no Parque da Maturidade, localizado no Parque Santa Luzia, chamou a atenção e indignou moradores. De acordo com relatos feitos ao Barueri na Rede, a ação foi flagrada no início do mês de julho. Intrigados, alguns munícipes chegaram a questionar a prefeitura sobre os motivos que levaram ao corte de árvores.

Sem resposta por parte da administração municipal, uma moradora pediu ajuda: “Vocês poderiam averiguar o por que estão cortando as árvores do Parque da Maturidade?”, questionou ao BnR. Duas fotos deixam evidente o resultado do corte: um ‘buraco’ ficou no lugar onde antes eram as copas das árvores.

O transplante, poda ou corte de árvores sem autorização é proibida em Barueri. Uma lei municipal estabelece multas caso uma dessas ações seja flagrada. Uma leitora, que testemunhou o corte das árvores do Parque da Maturidade, também chegou a acionar a prefeitura sobre o caso. “Mandei mensagem para prefeitura e eles não souberam me responder”, afirmou. Outra moradora também reclamou do corte das árvores. “É uma tristeza ver a mata do Parque da Maturidade sendo desmatada. É um crime. Onde está o Meio Ambiente? Será que ele é conivente?”, questionou, indignada.

O Barueri na Rede procurou a prefeitura sobre o caso e questionou sobre o motivo do corte dessas árvores, quantas foram cortadas, se outras ainda passariam pelo mesmo procedimento e se há algum plano para o plantio de novas árvores. Em nota, por meio da Secretaria de Comunicação, a prefeitura informou que uma vistoria foi realizada no local pelo Departamento de Biodiversidade (da Sema) e constatou que havia necessidade de supressão de algumas árvores: uma embaúba, uma paineira e um exemplar não identificado pois encontra-se seco, além de supressão de um abacateiro e uma jabuticabeira, que apresentam fungo apodrecedor no tronco e parte oca.

A nota afirma ainda que ‘os cortes foram deferidos de acordo com o Artigo 22, Incisos II e III da Lei Municipal 2558/2017’ e que no local, ‘observou-se também o aumento da frequência de queda de galhos dos exemplares de eucaliptos, uma vez que apresentam característica de derriça natural’ e que diante disso, para evitar acidentes no parque, a Sema autorizou a supressão de 19 exemplares de eucaliptos, que serão substituídos por mudas de espécies nativas com 3 m de altura.