Alunos da Fieb protestam contra ato de preconceito de funcionários

3065

Um aluno trans teria sido impedido por duas monitoras de ver o debate para eleição do grêmio estudantil da escola

Foto: Arquivo pessoal

Alunos da Fieb Maria Theodora Pedreira de Freitas realizaram um protesto contra um ato de transfobia de funcionários contra um estudante. O estudante trans teria sido impedido por monitoras de ver um ato para eleição do grêmio estudantil da escola.

“Duas monitoras estavam perseguindo um menino e impediram ele de ver o debate que a gente estava fazendo para eleger o grêmio estudantil”, conta uma aluna ao Barueri na Rede. “A gente queria que tivessem mais respeito com ele, por que ele é um aluno como todos os outros e não podem impedi-lo de fazer as coisas da escola”, completa.

A aluna explica que os próprios estudantes tomaram a iniciativa de protestar, pois não seria a primeira vez que isso teria ocorrido. “Montaram um grupo para falar as regras, quando e onde seria nosso protesto silencioso”, conta.

O protesto ocorreu na segunda-feira, 25/2, durante o intervalo, uma semana após o gesto de transfobia. Os estudantes usaram camisetas pretas, fizeram um círculo com a bandeira LGBT no centro e ficaram em silêncio, mostrando que a dor e o preconceito com uma pessoa transgênero atinge a todos.

A publicação com o relato do ato dos alunos da unidade, que contou inclusive com o apoio da coordenadora da escola, viralizou nas redes sociais. O post recebeu mais de 2,5 mil reações e mais de mil compartilhamentos desde segunda-feira.

O Barueri na Rede procurou a Fieb sobre o caso, mas não obteve respostas até o fechamento desta reportagem.

Foto: Reprodução redes sociais