Carlinhos quer CPI para investigar Associação Transparência Barueri

1041

Vereador quer investigar irregularidades na associação, que diz que vai acioná-lo na Justiça

O vereador Carlinhos do Açougue vai solicitar à Câmara de Barueri a abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar a Associação Transparência Barueri (ATB) por supostas irregularidades em sua atuação e documentação. O parlamentar pretendia fazer o pedido na sessão de terça-feira, 30/4, mas uma questão regimental o impediu e ele anunciou que fará a proposta na próxima semana.

Carlinhos quer investigação

A iniciativa é uma resposta a um requerimento da ATB à câmara que solicitou para análise cópias de todos os contratos firmados pela casa durante os quatro anos em que Carlinhos foi seu presidente. A associação se define como um grupo que “surgiu para trazer à comunidade de Barueri uma efetiva fiscalização dos atos praticados por funcionários públicos”.

Segundo o vereador, a iniciativa é uma tentativa de intimidá-lo. “Eles insinuam que tem algo errado em duas gestões em que se economizou e devolveu aos cofres públicos mais de R$ 28 milhões”, disse ele ao Barueri na Rede. “Mas vão apenas comprovar que atuei com total lisura enquanto fui presidente da casa.”

Falando da tribuna, Carlinhos fez duras críticas à ATB. “Eles têm a prática de fazer denúncias falsas, de achacar, mas comigo não funciona”, afirmou. O vereador mostrou documentos que demonstrariam que a entidade está sem presidente desde janeiro e até uma ata que continha assinaturas falsas.

Também reclamou do fato de a câmara ter atendido ao pedido de entrega das cópias dos contratos sem nem sequer checar a idoneidade da ATB. “Isso aconteceu porque tem alguém aqui na câmara municiando esse pessoal”, declarou.

Entidade rebate vereador

A ATB disse ao BnR que vai acionar Carlinhos na Justiça por causa de suas afirmações. “O vereador foi irresponsável ao fazer ilações baseadas em conversas de terceiros ocorridas em botequins. Está desesperado”, afirmou a entidade ao site. De acordo com a associação, foi o próprio parlamentar quem levantou a suspeita.

Em várias sessões ele afirmou que iria ao MP mostrar que seus contratos não tinham qualquer irregularidade. Então resolvemos solicitar os documentos. Até agora pouca coisa suspeita (foi encontrada), mas analisamos apenas 30% do material”, diz nota da ATB enviada do BnR. “Foi encontrado um número excessivo de cartas-convite com valores próximos ao limite permitido, assim como suspeita de conluio entre os licitantes”, afirma a entidade.

A associação diz suspeitar que Carlinhos esteja seguindo orientações do ex-prefeito Gil Arantes. “Ele ainda afirmou que a ATB só faz matérias e deixa de “denunciar” para as autoridades com o intuito de extorquir o ex-prefeito. Mas, vale dizer que Gil já foi condenado na Justiça por ter afirmado isso no passado”, completa.