Polícia prende quatro vereadores de Carapicuíba

302

Segundo o Ministério Público, vereadores mantinham esquema de contratação de apadrinhados para o Programa Saúde da Família

Corruptos
Carlos Japonês, Elias Cassundé, Jefferson Macedo e Nenê Crepaldi foram presos durante a sessão da câmara desta terça-feira/Fotos: reprodução internet

A polícia prendeu nesta terça-feira, 23/8, quatro vereadores de Carapicuíba acusados de participação num esquema que fraudou a contratação de 210 funcionários para o Programa Saúde da Família (PSF). Jefferson Macedo (PSDB), Elias Cassundé (PPS), Nenê Crepaldi (PPS) e Carlos Japonês (PPS) foram detidos durante a sessão ordinária da Câmara Municipal. Também foi presa a ex-secretária de Administração, Elaine Cristina Pereira.

Além dos detidos, estão envolvidos e com mandado de prisão decretado o vereador Paulo Xavier (PSDB), preso desde maio por outros crimes (leia aqui),  Everaldo Francisco da Silva (PT), candidato a prefeito de Carapicuíba,  e o ex deputado estadual Isaac Franco dos Reis(PT), esses últimos não encontrados e considerados pela justiça como foragidos.

Segundo o Ministério Público (MP), processos seletivos realizados entre 2014 e 2016 que resultaram na contratação dos servidores apresentaram várias irregularidades, como falta de ampla divulgação de prazos e locais, falta de previsão do número de vagas, prazo muito curto para inscrição e rasuras nas provas.Novo anuncio 1O MP também afirma que em vez de chamar profissionais aprovados em concurso público realizado em 2015, a prefeitura convocou apadrinhados políticos com a alegação de que iriam trabalhar em regime de emergência. Os vereadores presos seriam os operadores da fraude. Eles foram trazidos para a Delegacia de Polícia de Barueri.

“Há uma revolta dos candidatos que passaram no concurso e estão vendo pessoas sendo contratadas temporariamente sem nenhum critério”, explica a promotora Camila Moura e Silva.

Em 13 de agosto, a Justiça havia determinado a demissão dos 210 funcionários contratados irregularmente.

Antes disso, em 29 de julho, a prefeitura de Carapicuíba já havia sido obrigada a demitir outros 203 servidores do Programa Emergencial de Auxílio ao Desemprego por irregularidades semelhantes. Leia sobre esse caso aqui.