Campanha de Vacinação contra H1N1 é prorrogada

69
- Publicidade -

A Secretaria Estadual de Saúde prorrogou para 31/5 o término da campanha. Ação se deve a falta de vacina nos postos de vacinação

Em nota emitida terça-feira, 24/5, a prefeitura de Barueri informou que, por orientação da Secretária Estadual de Saúde, o prazo de encerramento da campanha de vacinação contra a gripe H1N1 no município foi prorrogado para  o dia 31/5, terça-feira da próxima semana.

A mudança se deve a problemas na distribuição da vacina. Desde seu início, que em algumas regiões do estado de São Paulo foi antecipada devido a alta incidência de casos, a campanha foi prejudicada pela dificuldade dos governos federal e estadual em atender a demanda.

As reclamações por parte das pessoas que procuravam as unidades de vacinação em Barueri foram constantes, já que os lotes enviados acabavam em poucas horas. Agora, porém, a prefeitura informa que recebeu doses suficientes para atender a todos o participantes dos grupos de risco que ainda não foram vacinados.

É importante lembrar que as vacinas estarão disponíveis exclusivamente nas UBSs, que não abrirão quinta e sexta-feira em virtude do feriado prolongado de Corpus Christi e normalmente não funcionam nos finais de semana. Portanto os interessados na vacina terão apenas segunda e terça-feira da próxima semana para o atendimento.

 A H1N1 é uma gripe que tem os mesmos sintomas da gripe comum, porém mais intensos. Ela costuma aparecer durante o inverno e pode levar a complicações graves e ao óbito, especialmente nos grupos de alto risco, que são o alvo dessa  campanha.

Grupos de Risco

As pessoas que correm mais riscos em caso de contrair o vírus H1N1 são: maiores de 60 anos, diabéticos, pacientes de doença cardiovascular crônica, obesos, pessoas com imunodeficiência ou imunodepressão, pacientes de doença neurológica crônica, pacientes renais crônicos, gestantes, pacientes de doença hepática crônica, crianças de até cinco anos de idade, pessoas com Síndrome de Down e mulheres no puerpério (até 45 dias do parto), indígenas e detentos e funcionários do sistema prisional.

[sam_ad id=”12″ codes=”true”]

 

 

- Publicidade -