Barueri não fará campanha de vacinação antirrábica em agosto

1859

Decisão é por conta da falta de envio de doses pelo Ministério da Saúde ao município

Barueri não realizará a campanha anual de vacinação contra a raiva animal neste mês de agosto. Assim como na capital e nas vizinhas Carapicuíba, Osasco e Itapevi, a ação não ocorrerá devido ao Ministério da Saúde não ter enviado as doses aos municípios.

A decisão de suspender a campanha foi confirmada pela prefeitura, por meio da Secretaria de Comunicação, ao Barueri na Rede. A gestão municipal informou que continua aguardando a chegada das vacinas e que o Ministério da Saúde afirmou à cidade que os imunológicos serão enviados após o mês de novembro.

O BnR procurou o Ministério da Saúde que, em nota, disse que a pasta aguarda a entrega da vacina antirrábica (VARC) pelo laboratório fornecedor, que identificou problemas técnicos na produção do imunológico. O ministério afirmou ‘que está empenhado em solucionar este atraso junto ao fabricante e ressaltou que as doses serão enviadas aos estados assim que a produção for normalizada’.

Ainda foi pontuado que a compra das vacinas para situações de bloqueio, que ocorrem quando um animal é diagnosticado com o vírus da raiva, é suficiente para atender a demanda mensal dos estados. De acordo com os dados federais, em 2019 foram enviadas 1,5 milhão de doses para São Paulo. Além da vacina para cães e gatos, o órgão também distribui a antirrábica para animais e ainda medicamentos contra a raiva humana (vacina antirrábica humana, soro antirrábico e imunoglobulina antirrábica), que não estão em falta.

A doença

A vacinação antirrábica de caninos e felinos foi instituída em 1973 em todo o país. O imunológico é destinado para cães e gatos a partir de três meses. A raiva é uma doença viral aguda que é transmitida para o ser humano ao ser lambido, mordido ou arranhado por um animal infectado.

Os principais sintomas nos animais são agressividade e salivação. O tratamento nos pets é ineficaz, por isso, a necessidade de prevenção por meio da vacina. Em caso de ser atacada por um cão ou gato doente, a pessoa deve lavar o ferimento com água e sabão em abundância e procurar atendimento médico imediato.