Barueri é uma das 50 cidades menos transparentes do país

1344

Município está entre os três mais mal avaliados da região, ao lado de Carapicuíba e Santana de Parnaíba  

Barueri está entre as 50 cidades menos transparentes do país. O município é o terceiro com nota mais baixa da região, perdendo apenas para Carapicuíba e Santana de Parnaíba.

Os dados são da Escala Brasil Transparente – Avaliação 360°, da Controladoria Geral da União (CGU), que tem como objetivo monitorar se as cidades e estados cumprem a Lei de Acesso à Informação (LAI) e se divulgam dados da administração pública por seus sites oficiais. Os instrumentos de transparência, que são avaliados, devem permitir que o cidadão possa acompanhar com clareza a execução de políticas públicas.

A última avaliação, que computa notas de zero a dez, ocorreu de setembro a novembro de 2018 em 27 estados e 665 municípios com mais de 50 mil habitantes, com base nos números do IBGE de 2017.

No ranking, Barueri ficou na posição 620 com uma nota de 3,62, figurando entre os 50 piores municípios do país em transparência (confira o relatório completo aqui). Mais abaixo, em 645, está a vizinha Carapicuíba, com nota 2,89. Já Santana de Parnaíba foi a mais mal classificada, ocupando a posição 657, com 1,77.

Entre as cidades da região mais bem colocadas, Jandira lidera na posição 116, com 8,65, sendo a que chegou mais perto da média estadual, de 8,78. Osasco vem na sequência, com 8,34, depois Itapevi, que teve nota de 8,07, e Cotia, com 7,48.

O estado de São Paulo ficou em 13º entre as 27 unidades da federação, e a capital paulista recebeu 7,94, estando na posição 181 em território nacional.

Sobre a avaliação

A Escala Brasil Transparente é realizada desde 2015. Na época, apenas os pontos relacionados à LAI eram analisados. Barueri e Carapicuíba não foram avaliadas na primeira edição.

Na segunda publicação, também em 2015, apenas Barueri foi estudada, recebendo 8,89. Na terceira edição, Barueri caiu para 8,88, ficando na posição 210 em âmbito nacional. Já Carapicuíba, mais uma vez não foi avaliada.

Mesmo com uma queda significativa de notas da terceira edição para a de 2018, a CGU afirma que a comparação não deve ser feita, já que foram acrescentados novos quesitos na Escala Brasil Transparente, que ganhou o subtítulo de Avaliação 360°. Agora, também são levadas em conta publicações online, em um Portal da Transparência (confira o de Barueri aqui), com informações sobre receitas e despesa, licitações e contratos, estrutura administrativa, servidores públicos, acompanhamento de obras públicas entre outras.