Aumento do ônibus em SP pode atingir trabalhador barueriense

2670

Tarifa vai a R$ 4,30 dia 7/1, mas empresas não terão mais subsídio, e pode sobrar para o vale-transporte do empregado

Além do valor maior, divulgado na sexta-feira, 28/12, o reajuste das tarifas de ônibus da capital pode atingir o trabalhador barueriense de outra forma, por causa de uma alteração promovida este ano pela prefeitura de São Paulo. A partir de agora, as empresas não poderão mais descontar a parte do vale-transporte que elas pagam. Com isso, empresários poderão cortar o benefício ou transferir a diferença para o empregado.

A prefeitura de São Paulo anunciou nesta sexta-feira que a partir do dia 7/1 a tarifa dos ônibus na capital passa de R$ 4,00 para R$ 4,30. O percentual está acima da inflação anual, segundo a gestão municipal, para suprir a falta de reajuste dos dois anos anteriores.

No caso do vale-transporte, a administração municipal decidiu manter o subsídio apenas para o passageiro e o desconto em folha continuará em 6% do salário. Já o desconto para as empresas acaba, e elas terão de arcar com R$ 4,57.

A nova tarifa entra em vigor na segunda-feira, 7/1. Quem carregar o bilhete até a véspera, poderá viajar com o valor da tarifa antiga enquanto durarem os créditos.

Como não foram definidos reajustes das linhas intermunicipais, do metrô e da CPTM, não há definição para os novos valores das integrações.

As novas tarifas dos ônibus na capital a partir de 7/1 serão:

Tarifa dos ônibus municipais (SPTrans): de R$ 4,00 para R$ 4,30
Bilhete Diário comum (24 horas): de R$ 15,30 para R$ 16,40
Bilhete Mensal comum: de R$ 194,30 para R$ 208,90