Aprovada construção de proteção no viaduto do Belval

1812

Proposta foi acatada mais de um mês após morte de motociclista no local e depois de muitos anos de reivindicações

Na sexta-feira, 20/10, foi aprovada a terceira solicitação de fosse implantado um muro de contenção ou grades de proteção no viaduto Joaquim Antunes da Silva, no jardim Belval. O ofício nº 8 88/2017 foi aceito pela Secretaria de Segurança e Mobilidade Urbana, que realizará a execução da obra com 1.150 metros de muro de contenção ou de grades de proteção com 1,30 metro de altura.

A decisão positiva para instalação de alambrado de proteção no viaduto foi acatada mais de um mês após a morte do motociclista, conhecido como Jacaré, que morreu após cair de cima do viaduto. O caso aconteceu em 18/9, quando o motoqueiro, ao ser fechado por um caminhão, foi jogado contra a mureta de proteção do lado esquerdo da via e despencou para baixo do viaduto (leia reportagem completa).

O acidente teve uma grande comoção popular, gerando uma passeata para pedir à administração pública que tome providências e melhorasse a segurança no local (veja aqui). A ação resultou na assinatura de um abaixo assinado, que foi entregue ao presidente da câmara e ao vereador Luiz Fernando da Silva em 3/10 (saiba mais).

O mesmo viaduto também é alvo de queixas por grande parte dos passageiros de ônibus que têm itinerários que passam pelo local. A alta velocidade no trajeto do viaduto Joaquim Antunes da Silva atinge as linhas Jardim Líbano/Tamboré, Jardim Líbano/Parque Imperial e Vale do Sol/Engenho Novo e traz insegurança e tensão para quem passa pelo local diariamente (leia a matéria feita pelo BnR sobre o assunto).

Questionada pelo Barueri na Rede sobre a implantação, de fato, do muro de contenção ou grade de proteção no viaduto do Belval, a prefeitura, por meio da Secom, confirmou a instalação e explicou que o próximo passo será a abertura de licitação para escolher a empresa que executará a obra.

Reivindicações para melhorar a segurança no viaduto do Belval, que foi inaugurado em junho de 2000, eram recorrentes entre os parlamentares da Câmara. Em 2010 e 2013, o atual presidente da câmara, Carlinhos do Açougue, já havia feito a solicitação. Em 2014, um outro pedido foi proposto pelo vereador Sérgio Barganha. E, ainda, em maio deste ano, mais um requerimento foi instalado pelo vereador Luiz Fernando da Silva.