Após seis anos, Noite na Taverna volta à cena barueriense

1168

O evento cultural que mexeu com a noite da cidade na década passada volta em edição de solidariedade, sábado, 4/3

O Noite na Taverna, movimento artístico e cultural que movimentou a noite de Barueri em meados dos anos 2000 está de volta. Trata-se de uma edição especial, com intuito de auxiliar uma amiga do grupo em luta conta o câncer. O sarau será realizado no Ali Pub, localizado na Rua Jandira Guerra, no centro, no sábado, dia 4/3, a partir das 20 horas.

marcelinho
O Noite começou com Marcelinho no Sopa de Letrinhas. Foto: Mário Trujillo

Vários artistas de Barueri e da região foram convidados e confirmaram presença: o atores César Mello, Nana Pequini, o diretor teatral e ativista cultural Andrè do Valle, os músicos Andrew Mosse, Sandro Lima e o artista plástico Edgard Santo Moreti.

Essa edição nasceu da solidariedade do grupo com Carol Goto, irmã de Janaina Goto, que fez teatro em Barueri com César Mello, Paulo Américo, Juh Vieira, Marcello Airoldi, Rui Ricardo Dias, entre outros. Janaína postou no Facebook, solicitação de ajuda para tratamento de um câncer da irmã, prontamente compartilhado entre o grupo de amigos.

valter
Para Valter, Noite marcou época. Foto: Mário Trujillo

Logo estava sendo discutida a realização do sarau com o fim de colaborar com Carol. Para participar desse Noite da Taverna será cobrada uma contribuição afetiva, cujo valor sugerido é de R$ 30 e mínimo de R$ 10. O Ali Pub fica na Rua Jandira Guerra, 169, no centro.

Quem quiser, pode se apresentar com obras próprias (poesia, música, quadro, escultura, etc)  ou relacionadas ao tema do sarau, o escritor alagoano Graciliano Ramos. Para tanto, basta entrar em contato com Marcelo Arruda (celular 98328-7117 ou facebook) ou Valter Klenk (celular 96775-5365 ou facebook).

A história do Noite na Taverna

A ideia do Noite na Taverna surgiu depois que Marcelo Arruda, o Marcelinho, foi convidado por um colega no curso para escritores a participar do sarau Sopa de Letrinhas, na época organizado por, entre outros, Vlado Lima, Tato Fischer, Susie Matias e Zé Rodrix.

rui-ricardo-dias
Rui Ricardo Dias, alçou voos mais altos. Foto: Valter Klenk

Marcelinho chamou os amigos Valter Klenk e Aluísio Reis para irem juntos e dessa experiência nasceu a ideia de produzir um sarau em Barueri. Juntaram-se aos dois na organização César Mello e Rui Ricardo Dias. A primeira edição foi realizada no bar Nobi, na rua Jandira Guerra, ainda sem denominação, em meados de 2004.

Com o sucesso da iniciativa, uma segunda edição foi organizada para o mês seguinte,  já com o nome de Noite na Taverna, inspirado no livro homônimo do escritor paulista Álvares de Azevedo.  Foi criado um manifesto, escrito por Valter, e César compôs a Canção da Taverna.

Durante dois anos, o encontro foi realizado primeiro no Nobi e depois no Cyber Café, na rua Fioravente Barletta, no centro, sempre no último sábado de cada mês. Os participantes deveriam trazer trabalho autoral ou relacionado com o tema proposto a cada mês. O tema podia ser artistas de expressão, como os músicos Chico Buarque e Caetano Veloso, e os poetas Manuel de Barros e Carlos Drummond de Andrade, movimentos artísticos, como a Semana de Arte Moderna de 1922, a poesia Concretista ou o Samba, ou ainda artistas da região, como o ator César Mello, o diretor Filastor Brega ou o multimídia Juh Vieira.

aluisio-reis
Aluísio Reis, desde o Sopa de Letrinhas. Foto: Valter Klenk

Passaram pelo Noite na Taverna, Marcelo Airoldi, César Mello, Paulo Américo, Rui Ricardo Dias, Juh Vieira, Sandro Lima, Dessa Souza, Andrew Mosse,  Will Cavagnoli, Sandra Barbosa, Cilene Alvez, Glacyellen Pollyanne, Érica Pedrosa, André do Valle e Adriana Salcedo, entre outros.

Marcelinho lembra que o sarau era didático, tanto para o público quanto para os organizadores. “Quando o tema proposto foi, por exemplo, o poeta Manuel de Barros, tivemos que tomar contato com a obra do homenageado, que para nós era desconhecida”.

Outro ponto levantado por Marcelo é a independência do evento, sem nenhum apoio do poder público. Ele lembra que fizeram mensalmente durante dois anos, enquanto a prefeitura organizava seus espetáculos artísticos de diferentes oficinas culturais em conjunto apenas em dezembro. Para ele, são emblemáticas duas manifestações de Marcello Airoldi. Primeiro quando disse que o Noite era maior expressão cultural da cidade, e depois que era sua intenção levar o sarau para a secretaria de Cultura.

Valter Klenk lembra de uma matéria assinada por Marcos Vicente, no final de 2004, e publicada no Jornal Notícias. Nela Marcos afirma que o Noite na Taverna foi a única coisa que resistiu ao temporal que caiu em Barueri, na noite de 27 de novembro, quando 50 pessoas resistiram e participaram da homenagem ao poeta russo Vladimir Maiakovski.

cesar-mello
César Mello, televisão e grandes musicais. Foto: Valter Klenk

Em 2006, César Mello e Rui Ricardo Dias alçaram voos mais altos, Aluísio Reis foi cuidar de interesses particulares. Como era o trabalho coletivo, lembra Marcelinho, o Noite deixou de ser organizado. Desde então foram realizados três eventos, o último deles em setembro de 2011.

Marcelo gosta de destacar todos aqueles que tiveram participação no Noite na Taverna e depois conquistaram outros espaços. Os atores Cello, Rui, César e Paulão, que hoje estão no grande circuito de teatro, no cinema e na televisão, a grande produção autoral de Juh Vieira e o trabalho de Dessa, Sandro e Will na Cooperifa.

Agora, a necessidade de uma amiga faz com que o grupo de reúna por uma causa nobre.

Serviço

Noite na Taverna
Ali Pub
Sábado, 4/3, 22 horas
Rua Jandira Guerra, 169, Centro, Barueri
Contribuição afetiva sugerida de R$ 30, mínimo de R$ 10