Aliança goleia Cachoeirinha e é tricampeão

687

Com atuação firme e segura, time do Engenho Novo mostra que não é tricampeão por acaso

Aliança se impôs e alcançou um placar elástico/Fotos: Campeonato Amador de Barueri

Com grande público no ginásio José Correa, o time do Aliança venceu o Cachoeirinha por 4 a 1 e se sagrou tricampeão do Campeonato Municipal de Futsal de 2019, neste sábado, 21/9. A partida mostrou a qualidade esperada para uma final, com belas jogadas, dribles, boas defesas e, sobretudo, muita disputa. Se o placar traduz a qualidade técnica da partida, ele omite a entrega das equipes em quadra.

O jogo começou com a equipe do Aliança dando a saída e já partindo para o ataque. Durante quase dois minutos a equipe do Cachoeirinha não conseguiu sair da sua quadra. Quando saiu, conseguiu chutar ao gol, mas sem oferecer perigo à meta de Alê. Na reposição da bola, Tom foi lançado na direita, carregou e na entrada da área bateu forte para abrir o placar. No minuto seguinte, Juninho recebeu na entrada da área, girou em cima da zaga e chutou rasteiro acertando o pé da trave direita.

O Cachoeirinha tentou responder e começou a dar trabalho para o goleiro Alê. Aos 4 minutos, Cristian se livrou da marcação e chutou forte no canto esquerdo do goleiro que espalmou para escanteio. O time manteve a pressão e aos 8 minutos, Ratão acertou um belo chute forçando o goleiro a jogar, mais uma vez, para escanteio. O jogo era equilibrado e as equipes disputavam cada bola como se fosse a derradeira.

Cachoeirinha se desdobrou e foi reconhecido pelos torcedores

Aos 10 minutos, Tom interceptou um passe na sua quadra, avançou, pedalou para cima da marcação e chutou para uma bela defesa de Carlos, impedindo o segundo gol. O Aliança voltou a subir a marcação, empurrando o Cachoeirinha para sua quadra e oferecendo perigo nas roubadas de bola. Aos 17, Kaká infiltrou pelo meio e bateu forte. O goleiro Carlos rebateu e o próprio Kaká voltou a chutar, com nova rebatida, desta vez para o lado. No minuto seguinte, Giovanny recebeu na esquerda e tocou na entrada da área para Cabeça bater e ampliar o placar.

No retorno para o segundo tempo, e com dois gols de desvantagem, o time do Cachoeirinha foi para cima e tomou conta da quadra adversária. Aos 2 minutos, Octávio roubou a bola na frente da área e bateu para a defesa de Alê. O Aliança respondeu aos 4 minutos. Buiú tocou para Juninho na esquerda que devolveu para Buiú chutar rasteiro, acertando a trave direita. Aos 5, Giovanny roubou a bola no meio da quadra, avançou e, na saída do goleiro, tocou para Juninho, livre, empurrar para as redes e fazer o terceiro gol do Aliança.

O Cachoeirinha acusou o golpe. Apesar da entrega e de algumas boas jogadas, com dribles plásticos, o time esbarrava na firmeza e na dupla marcação do adversário. Aos 12, Tom, o capitão do Aliança, se aproveitou de uma bola roubada, avançou pela esquerda e viu o goleiro crescer para cima dele. Não teve dúvidas, diminuiu a velocidade e aplicou uma lambreta, encobriu o goleiro e viu a bola caprichosamente acertar o travessão.

Torcida do tricampeão fez a festa no José Correa pelo terceiro ano seguido

Aos 13, Tom, recebeu pela esquerda e novamente partiu em direção ao gol, desta vez, cheio de recursos, optou por limpar o goleiro e bater rasteiro, fazendo seu segundo gol na partida e o quarto do Aliança. O som do batuque na torcida do Aliança, ensurdecedor, marcava os cânticos dos torcedores e os gritos de “tricampeão”.

Resignado, o Cachoeirinha continuou com sua entrega em quadra, tentando ainda chegar ao gol. Aos 18 minutos, Cristian roubou a bola na garra, carregou, fintou, invadiu a área e tocou para Castor chutar e marcar seu primeiro, único e merecido gol. Mas não havia mais tempo para reação e o jogo terminou. Enquanto o Aliança fazia sua justa festa, o Cachoeirinha era acolhido com orgulho por sua torcida que, reconhecida, aplaudiu seu time.