Agentes do Demutran conquistam adicional por risco de morte

1169

O direito vinha sendo pleiteado há oito anos por representantes da classe em Barueri

O adicional por risco de vida vinha sendo pleiteado há oito anos/Fotos: Divulgação
O adicional por risco de vida era uma antiga reivindicação/Fotos: Divulgação

Foi aprovada pela Câmara Municipal a proposta, que vem sendo apresentada há oito anos, de adicionar o risco de morte à atividade de agente de trânsito.

Na última terça-feira, 23/5, por unanimidade, os vereadores acataram o pedido feito pela Comissão de Agentes de Trânsito de Barueri (CATB) de contemplar esses profissionais com a chamada Gratificação de Risco de Vida (GRV). A proposta agora vai para aprovação do prefeito Rubens Furlan.

Durante a sessão, Antonio Almeida Sousa – um dos idealizadores da proposta aprovada na câmara, que é agente de trânsito há nove anos e preside a CATB – discorreu sobre a importância dessa conquista e os riscos


que todo o trabalho dos agentes implica.

Ao Barueri na Rede, ele, que também é diretor de Relações e Integração Intermunicipal do Sindicato Estadual dos Agentes de Trânsito do Estado São Paulo (Sindatransp), afirmou que procurou traduzir o sentimento do efetivo do Demutran, atrelando os dados do município e do trânsito durante sua argumentação apresentada na câmara.

agenteAlém disso, Antônio falou das dificuldades da categoria. “Essa conquista é uma das muitas que a classe necessita, pois somos uma categoria funcionalmente existente há décadas, porém somente há três anos temos um reconhecimento constitucional”, desabafou.

Em nota, a CATB destacou que “esta data ficará marcada para todos os agentes de trânsito de Barueri como uma realização da categoria que esperamos ser referência para outros municípios”. A nota também informa que a medida “veio trazer muito além da gratificação financeira, veio atender os anseios do mérito da função”.

Risco à vida

A violência contra agentes de trânsito não é exclusividade de Barueri. Nos últimos anos, tem crescido o número de registros de agressões e ameaças. Em 2016, dois servidores foram mortos no Pará por motoristas inconformados. Em Cuiabá, foram registrados 100 casos em sete meses. Em Bauru, ficaram conhecidas as imagens de um agente sendo agredido por um motorista que estacionou numa vaga privativa para idosos.

Em Barueri, não há estatísticas sobre o número de incidentes, mas o próprio Demutran afirma que são frequentes. Um outro agente, que preferiu não se identificar, falou o que essa conquista representa. “Reconhecimento, motivação de trabalho, respeito! Essa mudança vai poder nos ajudar muito, porque atrás da farda somos pais e mães de família”.